26 de fevereiro de 2007

Moda??

Estou num centro comercial, enfrento essa figura...
Vou a passear na rua e deparo-me com esse cenário...
Mas alguém me pode explicar que raio de moda é esta em que as mulheres andam de calções em plena estação invernil??!!!

22 de fevereiro de 2007

O Carnaval da Madeira

Genial!! Verificando que a sua posição de força na Madeira está a enfraquecer de ano para ano (os resultados das últimas eleições foram os mais baixos dos últimos 25 anos), o Sr. Alberto João decide renunciar ao seu mandato.
Mas não para sempre!! Não se iludam, o que é que ele iria fazer agora com esta idade?? Aproveitando um clima de instabilidade política na ilha, criada por ele e pelo PSD, e vestindo o papel de vítima dos poderes de Lisboa, decide recandidatar-se novamente com vista a reforçar uma maioria que já detém actualmente (dos actuais 58% passará eventualmente para uns 63/64%).
Quanto é que custará esta arrogância ao erário público? (sim, porque os actos eleitorais não ficam de borla ao País).
PS: e alguém que nos explique porque é que uma região autónoma com 300/350 mil pessoas necessita de uma Assembleia Regional com 60 deputados??? Calculem a proporcionalidade que existe em relação aos 230 da Assembleia República para 9.5 milhões de habitantes. É aberrante!!!

21 de fevereiro de 2007

O Referendo

Em virtude da minha vida profissional não tenho tido a oportunidade de actualizar este blog, bem como a visualização dos vossos. No entanto não poderia deixar de mostrar a minha satisfação pelo resultado do referendo, ressalvando alguns aspectos:
1. Foi a vitória, principalmente, de um conjunto de mulheres e homens que lutavam por este direito à dignidade há já vários anos;
2. Foi a derrota clara da demagogia da campanha do Não, assente em pressupostos falaciosos e, nalgumas situações, mesmo mentirosos. Foi a derrota de Marcelo Rebelo de Sousa, "o grande ilusionista português" (como lhe apelidou Helena Matos numa crónica no Público). E foi a derrota de uma Igreja ultra conservadora, intimidatória e persecutória juntos dos seus fiéis;
3. Deste referendo não sairá uma lei moderna, na medida em que esta questão nada tem a ver com modernidade, mas sim com justiça e dignidade;
4. Os resultados do referendo mostram também uma profunda divisão geográfica do País, entre um Norte e Ilhas ainda bastante arreigados a laços conservadores e um Sul mais liberal na forma de pensar;
5. A lei que sairá do resultado do referendo terá de reflectir claramente esse resultado. Não faz sentido, na criação da proposta de lei, a intervenção de pessoas ou grupos de pessoas que tenham participado na campanha do Não, a qual visava, permitam-me relembrar, deixar as coisas exactamente como estavam;
6. Obviamente que o aborto clandestino não vai acabar. Mas a partir deste momento poderão ser criadas as condições para o mesmo seja feito com a maior dignidade e com a melhor assistência médica possíveis, dentro da lei;
7. Mais um referendo - o 3º - que não conseguiu ser vinculativo. Penso que seria a altura para os políticos pensarem se esta questão da vinculação será realmente importante (não esquecer também que entre 5 a 10% dos eleitores que se encontram nos cadernos ou já morreram ou saíram do país, tornando-se assim em eleitores fantasma).

10 de fevereiro de 2007

Non Sense

Se presenciar um incidente com a participação de um Jeová, isso faz de mim uma Testemunha de Jeová?

9 de fevereiro de 2007

Cá o Valentim vai votar Sim!!!!

A campanha do Sim estava a decorrer tão bem, sem exageros ou fundamentalismos... E não é que a 2 dias do fim tudo pode ser posto em causa por este senhor... :-) E expliquem-me: PORQUE É QUE ELE ESTÁ SEMPRE AOS GRITOS???!!!!

2 de fevereiro de 2007

Takeshi's Castle!!


Banzai!!! Isto torna os Jogos Sem Fronteiras uma mera brincadeira de crianças mimadas...